Debauchery - Kings Of Carnage
Compartilhe...
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Surreal o som que esse trio alemão consegue fazer. Em um mix infernal de Death Metal, Thrash Metal e Metal Tradicional a banda simplesmente consegue soar surpreendentemente fantástica. O álbum possui composições diretas, sem enrolação, com músicos bons e doentios em cada letra.

A banda é originária da cidade de Stuttgart na Alemanha e estão na ativa desde 2000, e em 2013 chegaram ao seu oitavo disco de estúdio.

Com vocal gutural, mas instrumental que varia muito entre o Thrash Metal com levadas de Power Metal e Metal Tradicional, a banda me ganhou logo nas primeiras três músicas: “Demonslayer”, “Let There Be Blood” e “Killerbeast”. Se o CD acabasse com “Killerbeast” eu já estaria satisfeito.

Acho que o trio alemão é a personificação do Manowar, só que sanguinolento e macho, sem aquela lenga lenga sobre True Metal. Toda a concepção lírica, artística e musical do grupo se baseia em ódio, carnificina e muito sangue. E a música “Kings of Carnage” deixa bem claro isso. Com um andamento de hino para uma batalha, a canção exalta o ódio e a carnificina.

Em “Man in Blood”, o instrumental mais Metal Tradicional e o refrão cantado com voz limpa mostra a versatilidade da banda em suas composições. A música é bem melódica e em alguns momentos se arrisca pelo Hard Rock.

Voltando ao clima épico de batalha “Victory Awaits” é uma ode aos campos de batalha mais cruéis e sanguinários onde guerreiros, bestas, demônios e até dragões travam suas batalhas gloriosas.
As músicas “Murder Squade” e “The Last Crusade” mantém o alto nível do disco apresentando um ótimo instrumental cheio de groove e refrão grudento.

Para fechar esse disco magistral a faixa “Debauchery Motherfuckin´ Family” que não perde em nada para as músicas anteriores. Bem rápida e pesada o baterista dá uma aula. Talvez essa seja a música mais Death/Thrash Metal de todo o álbum. Um som cheio de riffs e solos, mas sem deixar o peso e a velocidade de lado.

O Debauchery fechou esse trabalho em altíssimo nível. Mas o que já estava muito bom parece que consegue ficar ainda melhor. Esse CD foi lançado em uma versão dupla com outro disco contendo mais cinco músicas.

Covers para Fast as a Shark” (ACCEPT), “Animal (Fuck Like A Beast)” (W.A.S.P.), “Body Count’s In The House” (BODY COUNT) e “Man In Black” (Johnny Cash) são irretocáveis. Mas eu fico com a perfeição para os covers do Accept e do WASP.

Resumindo: – Se você procura uma banda que misture AC/DC e Anthrax com Gorefest, um pouco de Obituary e Malevolent Creation, a dica é comprar logo esse CD.

E nem preciso citar, mas vou: – A capa é fantástica!


Compartilhe...
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •