Compartilhe...
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Quando a morte se juntou…

Deformity, a banda que futuramente seria chamada de Sentenced foi formada no outono de 1988 por Miika Tenkula (guitarra/vocal), Lari Kylmänen (baixo) e Tuure Heikkilä (bateria). Nesse início a banda apostava em uma sonoridade mais próximo ao thrash metal.

Durante no ano de 1989 a banda tem uma mudança de line-up com a entrada de Sami Lopakka (guitarra) e Vesa Ranta (bateria). Com essa mudança na formação mudou também o nome e o estilo musical deles, passaram a ser conhecidos como Sentenced.

Adotaram como estilo musical o puro Death Metal, gênero que caracterizou o inicio da década de 90 na Europa e nos Estados Unidos.

Em novembro de 1990 a banda grava a primeira demo, “When Death Joins Us…” nos estúdios Tico-Tico. Como resultado conseguiram um contrato com o notório selo francês Trash Records.

A segunda demotape veio em 1991 e chamou-se “Rotting Ways to Misery”. Gravada no Tico – Tico Studios. No mesmo ano Taneli Jarva juntou-se a banda como baixista – vocalista, e já lançaram seu primeiro álbum intitulado “Shadows of the Past”.

O ano de 1992 foi proveitoso para o Sentenced, primeiro lançaram um material promocional chamado “Journey to Pahjola” e em dezembro o grupo se preparou para gravar o segundo álbum no Tico – Tico Studios.

Durante a primavera de 1993 o segundo álbum da banda “North From Here” foi lançado. O selo Century Media escutou o novo material e lançou “North….” no mundo todo. Ainda no mesmo ano a banda lança o EP “The Trooper” que incluía a clássica The Trooper do Iron Maiden.

Usarei esse parágrafo para uma explicação. O Sentenced ficou bem conhecido no Brasil após o lançamento de Crimson, já com Ville Laihiala como vocalista. Em 2001 devido a popularização da internet doméstica no Brasil, algum engraçadinho lançou na rede uma mp3 com o cover The Trooper do Sentenced e atribuiu a autoria do cover ao Children of Bodom. E depois disso quem é que conseguia fazer os mal informados entenderem que o Children of Bodom NUNCA gravou The Trooper? E que a musica a qual circulava pela internet era do Sentenced? Durante a primeira passagem do Children of Bodom no Brasil em 2001 o Metal Zone entrevistou o vocalista da banda, Alex Laiho: – Nunca gravamos essa música. E o vocal não parece com o meu.

Mas parece que não adiantou e ainda assim muita gente grita nos shows do Children para a banda tocar The Trooper.

Em outubro de 1994 o Sentenced retorna para o estúdio e começam as gravações de seu próximo álbum no legendário Tico – Tico Studio.

Já em janeiro de 1995 o Sentenced termina de gravar seu terceiro álbum, o excelente “Amok” e pela primeira vez a banda apareceu no top 40 da Finlândia. E também fizeram sua primeira turnê europeia ao lado do Tiamat (Suécia). Imediatamente após o lançamento de “Amok”, a banda esteve em quase todos os países da Europa.

Em abril e maio do mesmo ano, fizeram sua segunda turnê desta vez com o Samael ( Suíça). A banda excursionou mais pela Alemanha, França, Espanha e Portugal. Mais tarde no mesmo ano lançam o mini CD “Love & Death”.

Já em janeiro de 1996, a banda volta a Alemanha para uma pequena turnê junto ao Bolt Thrower (Inglês) . E no verão Taneli Jarva (baixista/vocalista) decide deixar a banda. Um novo vocalista foi recrutado somente três semanas após terem entrado em estúdio para gravar seu 4º álbum.

Com uma voz grave e um visual mais gótico, o novo vocalista Ville Laihiala ganhou as graças dos fãs da banda. E foi com o lançamento de “Down” em 1996, que o grupo ganhou mais fãs e aumentou seu prestígio junto ao público e a mídia mundial. Gravado pela primeira vez foi fora da Finlândia, Down foi produzido no Woohouse Studio , na Alemanha com Waldemar Sorychta como produtor.

Após uma longa parada (quase um ano) a banda volta a excursionar na “Dark Winter Nights” – um festival que contou com a presença das bandas: Lacrimosa (Alemanha) e The Gathering (Nova Zelândia). Esse evento ocorreu na Alemanha em dezembro de 1996 e Sami Kukkohovi foi o baixista nessa tour.

O álbum Down foi altamente aclamado pelas revistas européias, e recebeu grandes resenhas no mundo inteiro. Sendo nomeado o álbum do mês nas revistas alemãs Rock Hard e Metal Hammer.

Já em março de 1997 a banda resolve fazer uma pequena turnê na Finlândia com o After World e uma outra turnê por alguns países da Europa ( Alemanha, Itália, Holanda e Bélgica) com o My Dying Bride (Inglaterra) e Therion (Suécia). Essa turnê fez com que Sami Kukkohovi ser o baixista permanente da banda.

Dois meses depois, em maio, o Sentenced teve um excelente desempenho no Dynamo Festival na Holanda, para mais de 16.000 pessoas. Após esse acontecimento tocaram em diversos festivais europeus. No verão de 1997 a banda resolve lançar uma coletânea chamada “Story – The Greatest Kills” que foi lançado pela Spinefarm e uma pequena turnê para o lançamento desse álbum foi feita.

O quinto álbum “Frozen” foi gravado novamente nos estúdios de Woodhouse em maio de 1998. Em setembro do mesmo ano começava a turnê européia com o Iced Earth (E.U. A) abrindo. Em dezembro “o todo poderoso” Slayer tocou em um grande festival da Finlândia, com o Sentenced abrindo.

A versão digipack de “Frozen” foi lançada em fevereiro de 1999. Incluía quatro covers das bandas: Radiohead, Faith No More, WASP e The Animals. Em fevereiro tocaram em diversos lugares pela Finlândia. E no verão a banda tocou em poucos festivais, pois tinham que preparar novas musicas para o futuro álbum.

No outono desse mesmo ano, o Sentenced começou a gravar seu sexto álbum no Tico-Tico & MD Studios. Em dezembro a banda lança um novo single “Killing Me Killing You”. No dia 25 de dezembro a banda tocou no famoso X-Mas tradicional festival em Oulu. E neste ano a banda celebrou 10 anos de uma longa viagem de “Miséria e Depressão”.

Novo ano, novo álbum. Em janeiro de 2000, o Sentenced, finalmente lançou seu novo álbum “Crimson”, o cd foi direto para o primeiro lugar nas paradas finlandesas.
Em março a banda foi headliner no Metal Meltdown festival em Nova Jersey (USA), mas os organizadores não foram muito profissionais e a banda só conseguiu tocar quatro musicas.

Durante a primavera européia o Sentenced fez grandes turnês pela Finlândia com Charon. No verão eles apareceram nos principais festivais de verão da Finlândia e em alguns na Europa. No outono eles começaram a excursão européia junto com In Flames (Suécia) e o Dark Tranquillity (Suécia). Após a excursão européia eles rumaram para a Turquia onde tocaram em um festival. Após isso a banda decidiu relaxar por seis meses para fazer novas músicas e carregar as baterias.

A banda passou o ano de 2001, se preparando e compondo o seu novo álbum, as gravações que começaram no final de 2001, prosseguiram até janeiro de 2002 com a finalização do álbum novo, que chegou as lojas em 2002.

O sétimo disco de estúdio do Sentenced era ansiosamente aguardo por fãs da banda. E quando The Cold White Light chegou foi um alvoroço não só para os fãs, mas também no cenário mundial. A banda trabalhou arduamente no álbum e transformou Cold White Light em um clássico do metal finlandês. São muitas as faixas do cd que estão muito acima da média como: Cross My Heart And Hope To Die, Blood & Tears, Excuse Me While I Kill Myself e Neverlasting. Só pra citar essas.

Muitas guitarras pesadas, baixo carregado, bateria marcante e o vocal limpo e em algumas passagens soturno de Ville Laihiala tornaram-se marcas registradas desse trabalho.

Na parte lírica o disco chega a ser fatal para os mais despreparados. São muitas letras depressivas e carregadas de humor negro, como no refrão de Excuse Me While I Kill Myself:

I´ll kill myself
I´ll blow my brains onto the wall!
See you in Hell
I will not take this anymore!
Now this is where it ends, this is where I will draw the line
So, excuse me while I end my life

– Eu me matarei:
Eu explodirei meu cérebro na parede!
– Vejo você no Inferno
Eu não aguentarei mais isto!
isso acaba agora, aqui é o fim da linha
Então, me dê licença enquanto eu dou fim a minha vida

O Sentenced ficou três anos sem gravar e 2005 o grupo retorna com o sombrio The Funeral Album. Além de sombrio o cd marcou o fim da carreira do grupo, que chegou a fazer um show de despedida com direito a CD e DVD, chamado Buried Alive. Esse material ao vivo foi lançado em 2006. Durante a abertura do show os membros da banda entram no palco carregando um caixão. E ao abrirem o caixão vemos que está abarrotado de cerveja. No DVD ainda há a participação do ex-vocalista Taneli Jarva. Uma apresentação memorável para uma banda que fez história.

O Sentenced sobreviveu a mudança de estilo, mudança de vocalista e mais uma mudança de estilo musical, após a entrada de Ville. Ainda assim conseguiu se tornar referencia no cenário mundial.

Em 2009 uma terrível notícia abalou os fãs da banda. A morte do guitarrista e um dos mentores da banda M. Tenkula. O guitarrista, que passava por momentos muitos difíceis após o final da banda, teve diversos problemas com álcool e drogas.

Com o fim da banda pouco se sabe sobre o paradeiro dos integrantes. Quem mais aparece na mídia é o Ville Laihiala (vocal) com sua banda Poisonblack.

Gênero: Gothic Metal
País: Finlândia

Formação mais Recente:
Ville Laihiala (Vocal)
Miika Tenkula (Guitarra)
Sami Lopakka (Guitarra)
Sami Kukkohovi (Baixo)
Vesa Ranta (Bateria)

http://www.sentenced.org


Compartilhe...
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •