manowar

O Manowar é uma banda que dispensa apresentações, qualquer fã de metal pelo menos já ouviu falar desse quarteto americano que fez seu nome no início da década de oitenta. Eles apelam para um visual de vinkings/bárbaros e com letras sobre batalhas e sempre exaltando um lado machista.

Angariando milhares de fãs ao redor do mundo, bradavam aos quatro cantos que odiavam os posers do Hard Rock, mas a banda tem atitudes tão posers quanto a mais farofa das bandas.

Atualmente eles estão vivendo de suas glórias passadas, já que os seus recentes trabalhos de estúdio são extremamente fracos em relação as obras de arte da década de oitenta até inicio de 90, que a banda produziu.

O início

O grupo foi formado em 1980 quando Joey DeMaio (baixo) ainda trabalhava como técnico de baixo do Black Sabbath. Nessa época, Joey conheceu Ross the Boss que era guitarrista da banda Shakin Street e estava abrindo um show para o Black Sabbath na Inglaterra. E formar uma banda foi o curso natural das coisas, já que compartilhando das mesmas idéias, montaram uma banda e chamara o baterista Donny Hamzik e o colega de infância de Joey, Eric Adams para os vocais.

Os primeiros álbuns

Em 1982 veio o primeiro álbum. Um disco tímido com algumas boas passagens como o épico Battle Hymn que mostrou o que os fãs poderiam esperar do grupo para os próximos trabalhos. A faixa Dark Avenger também é outro bom momento principalmente pela narrativa de Orson Welles e a masturbação instrumental do baixista Joey em William’s Tale.

O trabalho seguinte prometia mais, na verdade muito mais do que esperavam. A começar pela assinatura do contrato com a nova gravadora, em que a banda assinou usando seu próprio sangue.

O álbum em si não é de todo ruim o que acaba com a credibilidade do grupo é a capa. Uma foto dos quatro fantasiados de bárbaros empunhando armas, uma cena um tanto ridícula.

O que salva em InTo Glory Ride (1982) são as letras, muito boas e contam estórias sobre guerras e mitologia. Esse álbum marca a estréia de Scott Columbs e também da frase que ficou famosa entre os fãs da banda: “Death to False Metal” (Morte ao falso metal).

Salve a Inglaterra

Foi em 1984 que o Manowar realmente se encontrou e lançou um magnífico trabalho com “Hail to England”. Além de dar uma puxada de saco na velha Inglaterra, país que os acolheu, já que nos Estados Unidos (país de origem da banda) o grupo não fedia nem cheirava, falando no popular.

Com uma capa muitíssimo melhor produzida e uma sonoridade de deixar os dois últimos trabalhos no chinelo, a banda veio com gás total. É uma pena que o álbum em si tenha apenas 30 minutos de duração o que não é nenhuma novidade em se tratando de Manowar, já que o grupo tem a mania de falar mais do que trabalhar. E isso ficará mais evidente durante a década de 90.

É de Hail to England que vem os maiores clássicos do quarteto e que tocam até hoje nos shows como “Blood Of My Enemies”, “Each Dawn I Die”, “Kill With Power“ e “Hail To England”.


Tocando muito alto

Ainda no mesmo ano o Manowar retorna com Sign Of The Hammer um novo álbum com oito faixas e que trilhou o caminho do alto nível por parte do instrumental e das letras. Além de faixas fantásticas como “Thor” e a épica “Guyana (Cult Of The Damned)”.

Foi durante a tour desse álbum que a banda entrou para o Guinness Book como a banda que toca mais alto no mundo. E se já eram convencidos, depois desse título dá para imaginar como não se sentiram né?

O Manowar é uma banda engraçada, sempre teve como seu lema a morte ao falso metal, que os posers deveriam morrer e todo aquele blá-blá-blá de quem já foi aos shows está acostumado a ouvir de Joey DeMaio. Não é que os caras lançam um álbum tão poser quanto as bandas da época.

A capa é terrível, uma cópia deslavada do Kiss e com algumas das piores músicas que puderam existir em termos de metal, o grupo lança em 1987: Fighting the World. Das nove faixas, poucas se salvam como é o caso da maravilhosa e furiosa “Black Wind, Fire And Steel” uma música digna de fazer parte de um álbum do Manowar, “Holy War” e “Defender” onde mais uma vez ouvimos uma narração de Orson Welles.

A banda conseguiu ser comercial e ao mesmo tempo clichê e como é de praxe do grupo lançam pouco mais de 35 minutos de gravação, isso sem contar introduções, masturbação com o baixo, narrações e sons ambientes.

Reis do Metal… Será?

Para se reconciliar com o público, pelo menos os que possuem uma visão crítica da banda, o Manowar retorna em 1988 com um trabalho um pouco melhor. Sim, um pouco melhor já que ainda apelam para fórmulas comerciais como se auto-intitularem reis do metal.

Em Kings of Metal (1988) encontram algumas das melhores músicas do grupo como a feroz “Wheels Of Fire”, a comercial “Kings Of Metal” e a poderosa “Hail And Kill”. A banda consegue mais uma vez causar polemica com a faixa “Pleasure Slave” ao cantarem que mulheres são escravas e nasceram para servir.

Os anos 90

Foram quatro anos de silêncio, mas valeu muito a pena. O grupo retorno à cena, mas sem o guitarrista e compositor Ross the Boss, para seu lugar entra David Shankle e para o lugar de Scott Columbs que saiu por problemas familiares, entra o animalesco Kenny “Rhino” Earl.

Uma obra prima da banda, assim podemos classificar Triumph of Steel, que foi lançado em 1992. A capa é maravilhosa, o instrumental é perfeito e as letras são lindas e muito inteligentes. Percebe-se que é um álbum perfeito. Talvez o ponto mais alto da carreira do grupo. São mais de setenta minutos de álbum. Com canções épicas, uma aula de história como em “Achilles” de Ilíada e seus 29 minutos.

Depois do lançamento de Triumph que deve ter consumido todos os neurônios criativos da banda, eles resolvem voltar quatro anos depois, em 1996 com o mediano “Louder Than Hell”. O grupo volta modificado novamente. Com o retorno do baterista Scott Columbus e Karl Logan no lugar do guitarrista David Shankle.

A fórmula de Louder Than Hell é a mesma de todos os álbuns do Manowar: letras falando de batalhas, músicas com tons épicos, solos chatíssimos e o vocal de Eric Adams dando um show.

Foi durante a tour desse álbum que o grupo se apresenta pela primeira vez no Brasil para uma sequência de shows.

O grupo retorna ao Brasil em 1998 para participar da 4ª edição do Phillips Monsters of Rock com o Slayer como atração principal, Megadeth, Dream Theater, Savatage, Saxon entre outros.

Mais uma longa espera e no intervalo entre o último álbum e um novo, a banda lança dois cds duplo com material ao vivo, na verdade não passa de registro medíocres de seus shows e não é nada que vá valer muito a pena se prolongar.

Os anos 2000 e o declínio

Somente em 2002 que o Manowar retorna com material inédito. Lançam pela Nuclear Blast “Warriors of the World” e sem vergonha nenhuma na cara repetem a mesmíssima fórmula do álbum anterior. O pior de tudo é que a banda leva cerca de seis anos para lançar material inédito de estúdio e quando o faz apenas algumas faixas são realmente “músicas” e somam pouco mais de 15 minutos de música. Uma vergonha e algo já que esperado por um grupo que fala muito mais do que faz.

discografia

Battle Hymns

1982 Capitol

  1. Death Tone
  2. Metal Daze
  3. Fast Taker
  4. Shell Shock
  5. Manowar
  6. Dark Avenger
  7. William’s Tale
  8. Battle Hymn

Formação: 

  • Eric Adams
  • Ross Friedman
  • Joey DeMaio
  • Donnie Hamzik

Into Glory Ride

1983 Megaforce

  1. Warlord
  2. Secrets of Steel
  3. Gloves of Metal
  4. Gates of Valhalla
  5. Hatred
  6. Revelation (Death’s Angel)
  7. March for Revenge (By The Soldiers Of Death)

Formação:

  • Eric Adams
  • Ross Friedman
  • Joey DeMaio
  • Scott Columbus

Hail To England

1984 Music For Nations

  1. Blood of My Enemies
  2. Each Dawn I Die
  3. Kill With Power
  4. Hail to England
  5. Army of the Immortals
  6. Black Arrows
  7. Bridge of Death

Formação:

  • Eric Adams
  • Ross Friedman
  • Joey DeMaio
  • Scott Columbus

Sign Of The Hammer

1984

  1. All Men Play On 10
  2. Animals
  3. Thor (The Powerhead)
  4. Mountains
  5. Sign of the Hammer
  6. The Oath
  7. Thunderpick
  8. Guyana (Cult of the Damned)

Formação: 

  • Eric Adams
  • Ross Friedman
  • Joey DeMaio
  • Scott Columbus

Fighting The World

1987 Atlantic

  1. Fighting The World
  2. Blow Your Speakers
  3. Carry On
  4. Violence And Bloodshed
  5. Defender
  6. Drums Of Doom
  7. Holy War
  8. Master Of Revenge
  9. Black Wind, Fire And Steel

Formação:

  • Eric Adams
  • Ross Friedman
  • Joey DeMaio
  • Scott Columbus

Kings Of Metal

1988 Atlantic

  1. Wheels of fire
  2. Kings of metal
  3. Heart of steel
  4. Sting of the bumblebee
  5. The crown & the king (Lament of the kings)
  6. Kingdom come
  7. Pleasure slave
  8. Hail and kill
  9. The warrior’s prayer
  10. Blood of the kings

Formação:

  • Eric Adams
  • Ross Friedman
  • Joey DeMaio
  • Scott Columbus

Triumph Of Steel

1992 Atlantic

  1. Achilles, Agony and Ecstasy In Eight Parts
  2. Metal Warriors
  3. Ride the Dragon
  4. Spirit Horse of the Cherokee
  5. Burning
  6. The Power of Thy Sword
  7. The Demon’s Whip
  8. Master of the Wind

Formação: 

  • Eric Adams
  • David Shankle
  • Joey DeMaio
  • Rhino

Louder Than Hell

1996 Geffen

  1. Return Of The Warlord
  2. Brothers Of Metal Pt 1
  3. The Gods Made Heavy Metal
  4. Courage
  5. Number 1
  6. Outlaw
  7. King
  8. Today Is A Good Day To Die
  9. My Spirit Lives On
  10. The Power

Formação:

  • Eric Adams
  • Karl Logan
  • Joey DeMaio
  • Scott Columbus

Warriors Of The World

2002 Nuclear Blast

  1. Call To Arms
  2. The Fight For Freedom
  3. Nessun Dorma
  4. Valhalla
  5. Swords In The Wind
  6. An American Trilogy
  7. The March
  8. Warriors Of The World United
  9. Hand Of Doom
  10. House Of Death
  11. Fight Until We Die

Formação:

  • Eric Adams
  • Karl Logan
  • Joey DeMaio
  • Scott Columbus

Gods Of War

2007 Magic Circle

  1. Overture to the Hymn of the Immortal Warriors
  2. The Ascension
  3. King of Kings
  4. Army of the Dead, Part I
  5. Sleipnir
  6. Loki God of Fire
  7. Blood Brothers
  8. Overture to Odin
  9. The Blood of Odin
  10. The Sons of Odin
  11. Glory Majesty Unity
  12. Gods of War
  13. Army of the Dead, Part II
  14. Odin
  15. Hymn of the Immortal Warriors
  16. Die For Metal (bonus track)

Formação: 

  • Eric Adams
  • Karl Logan
  • Joey DeMaio
  • Scott Columbus

Thunder In The Sky

2009 Magic Circle

  1. Thunder in the Sky
  2. Let the Gods Decide
  3. Father
  4. Die With Honor (edit version)
  5. The Crown and the Ring (metal version)
  6. God or Man
  7. Tatko (Father – Bulgarian version)
  8. Otac (Father – Croatian version)
  9. Isä (Father – Finnish version)
  10. Mon p̬re (Father РFrench version)
  11. Vater (Father – German version)
  12. ?at??a (Father – Greek version)
  13. Apa (Father – Hungarian version)
  14. Padre (Father – Italian version)
  15. ? (Father – Japanese version)
  16. Far (Father – Norwegian version)
  17. Ojciec (Father – Polish version)
  18. Pai (Father – Portuguese version)
  19. Tata (Father – Romanian version)
  20. Padre (Father – Spanish version)
  21. Baba (Father – Turkish version)

Formação:

  • Eric Adams
  • Karl Logan
  • Joey DeMaio
  • Donnie Hamzik

Battle Hymns MMXI

2010 Magic Circle

  1. Death Tone
  2. Metal Daze
  3. Fast Taker
  4. Shell Shock
  5. Manowar
  6. Dark Avenger
  7. William’s Tale
  8. Battle Hymn
  9. Death Tone (live)
  10. Fast Taker (live)

Formação:

  • Eric Adams
  • Karl Logan
  • Joey DeMaio
  • Donnie Hamzik

The Lord Of Steel

2012 Magic Circle

  1. The Lord of Steel
  2. Manowarriors
  3. Born in a Grave
  4. Righteous Glory
  5. Touch the Sky
  6. Black List
  7. Expendable
  8. El Gringo
  9. Annihilation
  10. Hail, Kill and Die

Formação: 

  • Eric Adams
  • Evandro Moraes
  • Joey DeMaio
  • Donnie Hamzik

Kings Of Metal MMXIV

2014 Magic Circle

  1. Hail and Kill MMXIV
  2. Kings of Metal MMXIV
  3. The Heart of Steel MMXIV (Acoustic Intro Version)
  4. A Warrior’s Prayer MMXIV
  5. The Blood of the Kings MMXIV
  6. Thy Kingdom Come MMXIV
  7. The Sting of the Bumblebee MMXIV
  8. Thy Crown and Thy Ring MMXIV (Orchestral Version)
  9. On Wheels of Fire MMXIV
  10. Thy Crown and Thy Ring MMXIV (Metal Version)
  11. The Heart of Steel MMXIV (Guitar Instrumental)
  12. Hail and Kill MMXIV
  13. Kings of Metal MMXIV
  14. The Heart of Steel MMXIV (Orchestral Intro Version)
  15. The Blood of the Kings MMXIV
  16. Thy Kingdom Come MMXIV
  17. Thy Crown and Thy Ring MMXIV (Orchestral Version)
  18. On Wheels of Fire MMXIV

Formação:

  • Eric Adams
  • Evandro Moraes
  • Joey DeMaio
  • Donnie Hamzik

The Final Battle I

2019 Magic Circle

  1. March of the Heroes into Valhalla
  2. Blood and Steel
  3. Sword of the Highlands
  4. You Shall Die Before I Die

Formação:

  • Eric Adams
  • Evandro Moraes
  • Joey DeMaio
  • Anders Johansson

Formação Atual

Eric Adams – vocal
Evandro Moraes – Guitarra
Joey DeMaio – baixo
Anders Johansson – bateria
(ex-HammerFall, ex-Keegan, ex-Yngwie Malmsteen, ex-Silver Mountain, ex-Winterlong)

Membros Anteriores

Ross Friedman – guitarra
(Brain Surgeons, Death Dealer, Ross The Boss)

David Shankle – guitarra
(David Shankle Group)

Karl Logan – guitarra

Donnie Hamzik – bateria

Scott Columbus – bateria
Morto em abril de 2010, aos 54 anos

Rhino (Kenny Earl Edwards) – bateria
(Burning Starr, ex-Death Dealer, ex-Forgotten Realm, ex-Holyhell)

origem

Estados Unidos

Gênero

Power Metal

biografias

Manowar

Manowar

16/03/2021 Biografias

manowar O Manowar é uma banda que dispensa apresentações, qualquer fã de metal pelo menos já ouviu falar desse quarteto americano que fez seu nome no início da década de oitenta. Eles apelam para um visual de vinkings/bárbaros e com letras sobre batalhas e sempre exaltando um lado machista.Angariando milhares

Leia mais

play it loud!

Skid Row – Slave to the Grind

Filipe Souza 02/02/2018

Esqueça a figura do Sebastian Bach por apenas um segundo. Esqueceu? Agora ouça esse disco

Leia Mais
Play It Loud! Podcast

Helloween – Live in the U.K

Filipe Souza 15/04/2013

O que se pode dizer de um disco ao vivo que resgata o melhor de

Leia Mais
Play It Loud!

Ozzy Osbourne – Speak of the Devil (1982)

Filipe Souza 17/12/2012

Ozzy Osbourne Speak of the Devil (1982) Esse disco representa muito para mim. Desde adolescente

Leia Mais
Play It Loud!

Escute o metal zone